Fluxos Básicos para Controle da Manutenção — Criticidade e Prioridade no Atendimento de Ativos

Fluxos Básicos para Controle da Manutenção — Criticidade e Prioridade no Atendimento de Ativos

Esta é a segunda de uma série de 4 publicações que faremos sobre Fluxos Básicos para Controle de Manutenção nas quais falaremos um pouco dos dados e fluxos que são fundamentais para a gestão de ativos e serviços dentro de uma empresa. Veja os tópicos abordados nesta publicação:

  • Algoritmo de Criticidade
  • Priorização — Método GUT

Algoritmo de Criticidade

Nem todo equipamento de uma fábrica tem a mesma criticidade. Alguns podem variar sem verdadeiramente afetar a produção, a segurança ou o meio ambiente, como é o caso de equipamentos redundantes ou alguns tipos de equipamentos que são utilizados ocasionalmente. Em contrapartida, há equipamentos que, obrigatoriamente devem estar em bom estado de funcionamento (Equipamentos Críticos). A sua disponibilidade poderá acarretar, por exemplo, a perda de vendas, atrasos nas entregas aos clientes, acidentes pessoais e danos ambientais. Os esforços da manutenção devem incidir prioritariamente nestes equipamentos.

A partir desta necessidade utilizamos uma matriz / algoritmo para definir a criticidade dos equipamentos.

Assista ao vídeo abaixo e saiba como definir a criticidade de Máquinas, TAGs e Equipamentos e o tipo de manutenção mais adequada ao ativo, utilizando os recursos do SIGMA — Sistema Gerencial de Manutenção:

Priorização — Método GUT

É uma ferramenta de auxílio na priorização de resolução de problemas. A matriz serve para classificar cada problema que você julga pertinente para a sua empresa pela ótica da gravidade (do problema), da urgência (de resolução dele) e pela tendência (dele piorar com rapidez ou de forma lenta).

Não existe muito mistério quando o assunto é a matriz GUT. Os conceitos essenciais dessa ferramenta de gestão passam pelo entendimento dos 3 atributos de classificação de problemas. Vamos ver cada um deles:

Gravidade

É analisada pela consideração da intensidade ou impacto que o problema pode causar se não for solucionado. Tais danos podem ser avaliados quantitativa ou qualitativamente. Um problema grave pode ocasionar a falência da sua empresa, na perda de clientes importantes ou mesmo em danificação da imagem pública da organização. A pontuação da gravidade varia de 1 a 5 seguindo o seguinte critério:

  • Sem gravidade
  • Pouco grave
  • Grave
  • Muito grave
  • Extremamente grave

Urgência

É analisada pela pressão do tempo que existe para resolver determinada situação. Basicamente leva em consideração o prazo para se resolver um determinado problema. Pode-se considerar como problema urgente prazos definidos por lei ou o tempo de resposta para clientes. A pontuação da urgência varia de 1 a 5 seguindo o seguinte critério:

  • Pode esperar
  • Pouco urgente
  • Urgente, merece atenção no curto prazo
  • Muito urgente
  • Necessidade de ação imediata

Tendência

É analisada pelo padrão ou tendência de evolução da situação. Você pode analisar problemas, considerando o desenvolvimento que ele terá na ausência de uma ação efetiva para solucioná-lo. Representa o potencial de crescimento do problema, a probabilidade do problema se tornar maior com o passar do tempo:

  • Não irá mudar
  • Irá piorar a longo prazo
  • Irá piorar a médio prazo
  • Irá piorar a curto prazo
  • Irá piorar rapidamente

O valor de prioridade será estabelecido através da multiplicação dos valores de cada item do GUT, conforme tabela mostrada abaixo:

Assista ao vídeo abaixo e conheça como aplicar a ferramenta GUT, utilizando os recursos do SIGMA — Sistema Gerencial de Manutenção.

Tags: No tags

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *